sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Escravos do Amor, Kate Pearce



Título Original: Simply Sexual
Autoria: Kate Pearce
Editora: Quinta Essência
Nº. Páginas: 291
Tradução: Margarida Avelar


Sinopse:

Satisfação sexual…
Os dez anos como escravo sexual num bordel turco fizeram com que Lorde Valentin Sokorvsky tivesse um insaciável apetite sexual. Agora, chegou a hora de casar, mas encontrar uma mulher que consiga satisfazer os seus luxuriosos desejos representa um autêntico desafio para ele... Até que conhece Sara e tudo em que consegue pensar é em tê-la sob o seu corpo viril, suplicando-lhe que o saboreie e o acaricie.

Sedução sensual…
Sara Harrison sabe que deveria ficar escandalizada e assombrada pelos atrevidos avanços de Lorde Sokorvsky, mas, ao invés, sente-se secretamente excitada e atraída por aquele homem sensual e sedutor. Escondida atrás da sua calma e das suas maneiras requintadas, encontra-se uma mulher sensual que deseja as carícias íntimas de um homem e anseia ser educada na arte da sensualidade para dar e receber prazer e sucumbir a um louco desejo que não conhece limites.


Opinião:

Como diz o ditado popular: «O fruto proibido é o mais apetecido», Escravos do Amor é uma pequena e deliciosa pérola que transmite, com precisão, o real sentido de proibição e desejo. Numa escandalosa prosa erótica, Kate Pearce apresenta dois protagonistas sedutores e cativantes que, numa desavergonhada trama, mostram as suas experiências (e inexperiências) passadas e aprendem, em conjunto, a arte de um renovado amor físico e emocional.
Inserindo-se numa temática extremamente íntima à qual a Quinta Essência tem vindo a habituar os seus leitores, Escravos do Amor é um romance que detém a capacidade de elevar esse magnetismo e carisma pessoal a um nível completamente novo. Explicitamente sexual, sem quaisquer rodeios ou receios, Kate Pearce expõe-se na íntegra, de corpo e alma, como escritora, numa história envolvente onde as emoções se encontram à distância de um simples olhar.

Invulgar é a palavra que melhor caracteriza a união tecida entre Lorde Valentin Sokorvsky e Sara Harrison, principalmente tendo em conta as origens sociais e vivências adolescentes passadas por cada um dos dois. Nesse sentido, a razão por detrás de tal casamento teria, quase obrigatoriamente, de ser política... porém, não seria de esperar que duas almas tão distintas, tão complexas e dominadoras funcionassem bem ao ponto de se transformarem numa maravilhosa sintonia de perfeição elevando-se, desse modo, a uma aliança impenetrável. Ligados pela partilha dos assuntos de cama, pelo desejo de exploração e pela necessidade de satisfação, Valentin e Sara são duas personagens que não só envergam o fardo da cumplicidade íntima como, de igual modo, o estigma de um matrimónio improvável.

Escravos do Amor não é um livro para qualquer leitor. Quem se atrever a debruçar nestas maliciosas páginas, tem de estar consciente de que se vai deparar com uma narrativa manifestamente sexual, cujos alicerces se encontram enraizados nas práticas íntimas partilhadas entre um homem e uma mulher, onde o sentimento impulsivo, a ambição de vergar o outro e de deter o controlo perfazem a essência dominante da história. Ainda que detenha, no seu magnífico conteúdo, personagens ricas, situações algo indecorosas e uma ou outra reviravolta surpreendente, o ímpeto estabelece-se, primeiramente, no instinto primitivo, quase animalesco, que constitui a natureza do ser humano e só depois em tudo o resto.  

Uma moralmente – mas extremamente entusiasmante – imprópria história de amor, é a mensagem que fica após terminada a leitura de mais uma fabulosa e estreante aposta da Quinta Essência. «Casa do Prazer» pode ser uma série cuja força reside nas inúmeras descrições de cariz sexual apresentadas mas, para mim, não restam dúvidas acerca do poder e intuito principal deste enredo, onde a autora pretendeu não só entreter o mais aberto dos leitores como, acima de tudo, mostrar que um sentimento tão puro e delicado como o amor, pode ser a poção necessária para mudar e curar os traumas passados de um homem.
Uma autora que vou seguramente seguir. Um livro que recomendo aos leitores menos susceptíveis. Uma capa que simplesmente adoro – e sim, posso afirmar que aquele colar de pérolas tem muito que se lhe diga...

2 comentários:

v_crazy_girl disse...

Um livro que virá para as minhas mãos brevemente e embora esteja meio "coisa" porque todas as opiniões que leio dizem que este livro até faz corar os mais desenvergonhados, estou deveras curiosa xD

Bjs*

Pedacinho Literário disse...

É um livro muito, muito interessante, Crazy. Li algumas opiniões menos positivas precisamente pela componente sexual que o livro expõe, mas, quando se lê uma sinopse como esta, penso que fica bastante explícito o tipo de livro que se vai encontrar.
Não estejas "coisa", vais ver que vais gostar. Depois diz-me o que achaste! :)

Beijinhos e Boas Entradas!

2009 Pedacinho Literário. All Rights Reserved.